Mitos E Verdades Sobre A China

Today we’re publishing a post in Portuguese by our Brazilian blogger contributor in China Chris Marote. Chris debunks some of the popular myths and facts about China. Is it true that Chinese eat insects and other weird food? Read on and learn this and other curiosities about Chinese habits and culture.

Quando se fala na China sempre vêm à cabeça questionamentos, ideias equivocadas e afirmações nem sempre condizentes com a realidade atual do país, que vèm passando por rápidas e diversas mudanças. Porém algumas tradições milenares (e esquisitas) ainda são mantidas. Mas como a Chris ressalta nesse texto, “muitas coisas são estranhas diante dos nossos olhos, mas para eles fazem todo o sentido do mundo.”

Os chineses dormem em qualquer lugar

Fato mais do que verídico – segundo a filosofia de Confúcio e os princípios da Medicina Tradicional Chinesa, você tem que respeitar as manifestações de seu corpo. Então, se dá aquela soneca no meio do dia, depois do almoço, seja lá onde for, eles encostam e dormem. Mas dormem mesmo! Não saberia descrever aqui todas as cenas que já presenciei nesses 11 anos de China. Eles dormem em pé, de cócoras, no ponto de ônibus, encostados nas paredes dos shoppings …

Família Chinesa Dormindo em Loja da Ikea by Raquel Custódio

Família Chinesa Dormindo em Loja da Ikea by Raquel Custódio

Os chineses são mal educados e cospem onde estiverem

Mentira e verdade – é verdade que eles cospem, escarram, arrotam e soltam ‘pum’ em qualquer lugar. Mas é mentira que são mal educados.
Calma … Eu explico!

Baseados nos mesmos princípios de se dormir quando tem sono, eles acreditam que TUDO que o corpo quer colocar para fora tem que ser expelido – assim, na hora. Isso é cultural e vem desde a época dos imperadores, 5 mil anos atrás, baseados na medicina chinesa e nos ensinamentos do filósofo Confúcio. Nesse caso, para eles, mal educados somos nós que não respeitamos os sinais e reações do nosso corpo.
Sobre esse fato, tive uma experiência bem interessante com uma amiga chinesa que descrevi neste link.

Chineses só comem coisas estranhas e insetos
Outra meia verdade – Realmente eles comem algumas coisas estranhas para o nosso paladar (e adoram), mas eles não comem só isso. A culinária chinesa é bem diversificada e tem pratos para todos os gostos.

Aí, vocês perguntam: mas e os escorpiões, baratas e outras coisinhas mais?

Live Scorpions on the Stick

Desculpem-me! Hoje em dia isso é coisa para turista! Principalmente em Pequim, onde há uma viela que vende de tudo que você imaginar e onde a maioria dos meios de comunicação vão fazer matérias sobre a China. E quem é turista também vai gostar de mostrar isso aos seus amigos na volta: é super exótico!

O fato é que a China teve vários períodos de fome na sua história – alguns, muito severos, em que as pessoas ferviam pedras para tomar a água com algum nutriente, comiam casca de árvores e tudo que pudesse virar alimento era bem-vindo. Mas você faria diferente? Acho que não. Isso, hoje, é passado. Nunca vi tanta fartura e até desperdício de alimentos como existe aqui.

Os chineses preferem filhos do sexo masculino por conta da lei do filho único

Falso – a lei do filho único só piorou a situação das meninas na China quando foi implantada. Hoje já está muito mais branda essa preferência, inclusive com campanhas do governo valorizando a chegada de bebês meninas à família. Mas o motivo pelo qual eles preferiam meninos é porque na época do império, no passado milenar chinês, o governo dava uma gleba de terra para o casal que tivesse um filho homem; se tivesse dois, eram duas glebas e assim por diante, e não dava nada para os que tinham meninas.

Como assim? A tradição na China é que os filhos homens ficam responsáveis pelos pais e, quando casarem, vão trazer a esposa para morar com eles e fazer parte da família. Dentro desse costume, as moças deixavam de fazer parte da família de origem. Os pais recebiam um dote por dar a filha em casamento e muitas moças ficavam anos sem visitar os pais, com o intuito de cortar o vínculo.

Resumindo, ter meninas (segundo o pensamento da época) era só prejuízo, pois teriam que alimentar, vestir; elas não seriam força de trabalho como os homens, não cuidariam dos pais na velhice e ainda não trariam nenhum benefício material para a família, uma triste realidade; no entanto, a discriminação contra a mulher nunca foi uma exclusividade chinesa, isso é fato.

Os chineses acreditam que a China é o centro do mundo
great-wall

Verdade – e isso também vem lá de longe, de milênios. Os chineses sempre acreditaram que a China fosse o centro do mundo e que nada aconteceria, existiria, sem que ela fosse o epicentro. Chamavam os estrangeiros de ‘bárbaros’ e os consideravam povos ‘estranhos’.
O próprio nome do país em mandarim, significa, literalmente ‘país do meio’ – 中国 – Zhōngguó.

Bebês chineses fazem suas necessidades no meio da rua

Verdade – mas isso também faz parte da tradição cultural desse povo. Em algumas regiões da China já se tira a fralda do bebê com 2 meses de vida. E aí começa um treinamento: cada vez que o bebê mama, em seguida ele é colocado no colo numa posição semelhante a de cócoras e fica assim até fazer suas necessidades. E o processo se repete cada vez que ele se alimenta. Chega uma hora que a criança, o bebê, está condicionado, e onde ele está ele solta o que tiver que soltar…

Até as roupas de bebê aqui na China são feitas para esse fim: as calças são abertas na parte de baixo. É a coisa mais comum encontrá-las para vender nas lojas. Difícil é achar as calças e macacões devidamente costurados no gancho! E, mais uma vez, eles não se conformam que nossos bebês usam fraldas, pois dizem que isso faz mal para a pele das crianças; e há mais uma lista de motivos para descartar as fraldas. Em cidades como Xangai, mais ocidentalizadas, isso vai se tornando menos comum, porém no interior ou nos bairros afastados do centro, só se vê bebês de bundinha de fora!

Esses mitos são somente a ‘ponta do iceberg’ de todos os mistérios e lendas que envolvem a China, sua história e cultura. Eu poderia ficar elencando dezenas deles.

O objetivo de colocar aqui todas essas histórias é que no fundo tudo é cultural e faz parte da vida desse povo desde sempre. É a civilização mais antiga do mundo, com suas tradições milenares.

O interessante é que mesmo com toda a modernidade – a tal da globalização -, os chineses cresceram, viraram consumidores vorazes, estão desbravando o mundo, mas não abandonam a maioria dos costumes que datam da época do império.

Como sempre digo, o concreto é fácil de mudar. Se destrói o prédio velho e desgastado, num piscar de olhos eles constroem um arranha-céu de vidro e aço. Mas a cabeça das pessoas, a raiz cultural, o inconsciente coletivo… Isso ninguém consegue mudar com uma martelada!

Zái Jiàn!

ABOUT THE AUTHOR:
After Christine Marote spent 4 years traveling between Brazil and China (Chang Chun, Jilin Province), she decided to move to Shanghai in January of 2009. In 2010 Chris decided to create a blog and share her experiences as a Brazilian expat living in China, and soon her blog became a source of information for foreigners and expats like her that have decided to live in China.

Her blog “China na minha vida” describes Christine’s experiences, language challenges, cultural differences and curiosities, and the rich and diverse culture of China in an interesting way.

Christine is Brazilian, holds a degree in Education, and a Masters in Chinese Business and Culture from Jiaotong University.